existe vida após a morte?

Existe vida após a morte?

Participei de um Seminário Geral na Academia Sul-Americana de Treinamento Espiritual de Ibiúna-SP orientado pela saudosa prela Ilona Von C. Nogueirol Fernandez e, em uma de suas palestras, em que o tema abordado era gratidão aos antepassados, um dos participantes que ali estavam pela primeira vez fez a seguinte pergunta:

– Por que vocês oram para quem já morreu?

A prela Ilona Fernandes então respondeu de maneira simples porém direta:

– Não oramos para quem está morto. E sim oramos e agradecemos para quem está vivo. E nossos antepassados não morreram, somente deixaram essa vestimenta chamada corpo carnal e hoje seguem vivendo num outro plano.

 

O prof. Seicho Taniguchi em seu livro O Amor entre Pais e Filhos escreve: “A vida do homem não acaba com a morte do corpo. A verdade é que ela continua existindo de alguma forma; e, se não pensássemos assim, a nossa vida perderia toda a razão de ser. Não seria uma grande tolice trabalhar e sofrer tanto para um futuro que acabará em cinzas, transformando-nos em elementos inorgânicos?”.

 

Para muitos, ainda é certa a ideia de que a morte é certeira. E que os sofrimentos, pobrezas, desarmonias etc., que tudo acaba com a morte. De fato, se assim fosse, melhor seria aproveitar cada minuto do tempo para buscar mais e mais regalias, independentemente de causar prejuízos a outras pessoas ou não. E, também, se uma pessoa passa a vida a usurpar e, em função disso, acumula grandes fortunas, se ao morrer tudo acaba, seria tolo não fazer o mesmo.

 

A Seicho-No-Ie nos ensina que a morte do corpo não é a morte do homem

 

A nossa vida é eterna e, sendo assim, viver de maneira correta tem grande significado. Pela lei da causa e efeito, se praticarmos o mal sofreremos essa consequência quer estejamos aqui neste plano ou não. Se vivermos praticando o bem às pessoas e ao meio em que estamos, receberemos o bem juntamente com todas as pessoas ao nosso redor.

 

A Seicho-No-Ie nos ensina que muitas pessoas ao passarem para o mundo espiritual continuam sofrendo as mesmas dores que sentiam enquanto viviam aqui, no mundo terreno; isso porque a dor não está no corpo físico, não está na matéria, e sim na mente, e a morte do corpo é apenas a ausência da mente.

 

Se uma pessoa teve como causa de sua morte o câncer, ela poderá continuar sentindo os mesmos sintomas dessa doença mesmo sem o corpo físico, ou seja, mesmo “morta” continuará sofrendo as terríveis dores da doença. Outras continuam sofrendo com o estado de pobreza, e outras, ainda, se debatem para sair das ferragens de um acidente automobilístico.

 

Nesses casos e em outros em que as pessoas continuam sentindo os mesmos sintomas de sofrimento, a única salvação é a sua conscientização de que o homem é filho de Deus, perfeito e maravilhoso. As dores e torturas que passaram no mundo terreno já fazem parte do passado e, agora, seja no mundo espiritual ou no mundo terreno, não há mais necessidade de sofrimento. Basta viver consciente de sua natureza divina e em harmonia com todas as coisas do céu e da Terra.

 

Recordo-me também de outro caso ocorrido na mesma academia num Seminário de Treinamento Espiritual para Jovens, orientado pela prela Francisca Justiniano: numa certa tarde, uma jovem de aproximadamente 20 anos teve uma manifestação espiritual, falando muitas coisas de sua vida, reivindicando outras e dizendo que era fulano de tal, um rapaz de 25 anos que morava na cidade tal etc.

 

A preletora disse no primeiro momento que ele já tinha falecido e que o corpo que usava não era dele, e sim de uma moça muito bonita. E que ele deveria deixar esse corpo e seguir sua caminhada no mundo espiritual.

 

Quando a preletora disse que ele tinha morrido, o tal espírito ficou furioso e disse que ela estava louca, pois se tinha morrido como poderia conversar com ela:

– Como morri se estou aqui com a senhora?

 

A prela Francisca explicou que ele não fazia mais parte deste mundo terreno e que já havia deixado o seu corpo carnal e agora habitava um mundo muito mais livre. Que ele não precisava mais de um corpo carnal. Por mais explicações dadas, ele não aceitava, dizia estar vivo e que iria continuar ali.

 

Depois de muita conversa com a preletora, fez a seguinte pergunta:

– Você é homem, ou você é mulher?

E a resposta veio com a voz de revolta:

– Claro que sou homem, não está vendo que sou homem? Ou a senhora é cega por acaso?

 

A preletora calmamente lhe explicou que ele não era mais possuidor de um corpo masculino ou feminino e que era um espírito; entretanto, após muitas explicações, ele seguia sem entender. No final, ela disse o seguinte:

 

– Bem, já que você diz que é um rapaz, é claro que você tem um corpo de homem, certo?

E novamente ele respondeu num tom bravo:

– Claro que sou homem, já disse isso!

Então a preletora solicitou para que ele lhe desse uma de suas mãos. Ao pegar a sua mão, ela a levou até um dos seios da moça e perguntou:

– Se você é homem por que tem seios?

 

Nesta hora, ele se assustou e percebeu que de fato o corpo que usava era de uma mulher e não era o corpo dele. Foi aí que a preletora conseguiu lhe explicar que o corpo usado no momento não era o dele, e sim o corpo de uma moça, e que ele estava lhe causando sofrimento.

 

Eles conversaram por volta de trinta minutos, no final ela lhe ofereceu a leitura da
Sutra Sagrada Chuva de Néctar de Verdade, entoou o Canto Evocativo de Deus e, após isso, disse-lhe:

– Vai, filho de Deus. Você é espírito. É luz. É livre, siga seu caminho e seja muito feliz.

 

Para a surpresa de umas pessoas que estavam acompanhando, ele respondeu:

– Muito obrigado, minha senhora. Compreendi, desculpe o trabalho. Estou indo.

 

Nesse dia, pude entender ainda mais quanto é importante orarmos para os nossos antepassados e entes queridos falecidos.

 

“Muitas doenças incuráveis ou de causas desconhecidas, assim como desarmonias no lar, têm desaparecido após a salvação de uma alma sofredora. É por isso que nunca devemos negligenciar a oração em memória de nossos antepassados e parentes falecidos.” (Do livro Melhore Seu Destino Cultuando os Antepassados.)

 

SALVAÇÃO DE UMA ALMA SOFREDORA

 

As almas sofrem de quê? Por quê? Como são os sofrimentos delas? Durante quanto tempo sofre uma alma no mundo espiritual?

 

Algumas religiões descrevem o mundo espiritual de forma tão diferente que as pessoas se confundem. Há filmes como Ghost e Amor Além da Vida que retratam claramente o sofrimento no mundo espiritual, exatamente como ensina a Seicho-No-Ie. Os suicidas e não somente eles, mas existem muitos que seguem na agonia da depressão, doenças, dores e ferimentos causadores das diversas mortes físicas por não conhecerem de fato o que é o Homem e por não terem ciência do que é a Vida.

 

Se, no mundo material, um paciente pode ter uma dor aliviada com um analgésico, no mundo espiritual não ocorre o mesmo. Conforme consta no prefácio do livro Melhore Seu Destino Orando pelos Antepassados: “Muitos gemem de dores, de angústias, sofrem a ponto de não sentirem mais forças para galgar um degrau sequer. O que os liberta não são os analgésicos; mas sim as palavras da Verdade”.

 

“Conheceis a Verdade, e esta vos libertará”, disse Cristo.

 

Na Academia de Treinamento Espiritual de Santa Fé, na Bahia, certa vez um jovem disse-me que constantemente sofria de dores de cabeça. Expliquei-lhe que deveria buscar saber se, entre os seus antepassados, alguém veio a falecer com uma pancada na cabeça. Perguntando à sua mãe, ele soube que no ano de 1920 seu bisavô morrera com um golpe de enxada na cabeça.

 

Assim, o jovem efetuou a leitura da Sutra Sagrada Chuva de Néctar da Verdade durante 49 dias para o bisavô, e as dores desapareceram por completo.

 

Na sutra sagrada está contida a essência da Verdade. O néctar da Verdade, em palavras atuais. Nas escrituras budistas, nos Vedas, na Bíblia e em outras que surgiram por inspirações divinas, encontram-se as palavras da Verdade. A sutra sagrada contém a mesma Verdade, porém em palavras atuais.

 

Anualmente a SEICHO-NO-IE DO BRASIL realiza no mês de abril a Festividade do Santuário Hoozo do Brasil, na qual os adeptos da Seicho-No-Ie tem a oportunidade de orar e agradecer aos seus antepassados inscrevendo-os nos registros espirituais.

 

É um momento de muita alegria para aqueles que já retomaram ao mundo espiritual e que são lembrados pelos queridos descendentes, parentes ou amigos que lhes prestam uma homenagem, inscrevendo-os nos registros.

 

DIARIAMENTE SÃO CINCO CULTOS COMPLETOS

 

No Santuário Hoozo do Brasil, as almas inscritas recebem cinco orações diárias, realizadas por preletores devidamente preparados para esse fim. Um conjunto de orações que tem em média a duração de uma hora e meia.

 

Conforme mencionado nas primeiras linhas, muitos padecem de doenças idênticas à que um antepassado faleceu. No livro Alegria de Orar pelos Antepassados, consta a transcrição de um texto do mestre Masaharu Taniguchi: “Em casos de doenças graves como gangrena, cujo sintoma é putrefação das extremidades dos membros inferiores, estes simbolizam os antepassados. Isso porque a terra, de onde tudo se origina, simboliza Deus, e a ligação entre o nosso corpo (tronco) e a terra (Deus) são os antepassados, são os membros inferiores. Portanto, doenças nas pernas simbolizam o sofrimento de algum antepassado em ilusão”.

 

Essa putrefação pode ocorrer por que algum antepassado está esquecido pelos familiares e não está sendo recebendo a oração. Por essa mesma razão muitos podem sofrer de diabetes e chegar ao ponto de amputar parte da perna.

 

Já os que leram o livro Melhore Seu Destino Orando pelos Antepassados, os que participam das atividades da Seicho-No-Ie e colocam em prática seus ensinamentos, os que efetuam diariamente a leitura da sutra para os antepassados, os que oferecem anualmente registros espirituais com os nomes de seus entes queridos, não sofrem desses problemas e ainda prosperam e seguem recebendo proteção, em seu lar reina harmonia, e todos são extremamente felizes.

 

NÃO ESPERE ATÉ ABRIL

 

Não espere chegar o mês de abril para preencher seus registros.

 

Se você dividir em quatro partes o número de registros espirituais que fará, será melhor em todos os sentidos.

 

Inscreva além dos antepassados da linha direta, os colaterais e não se esqueça dos seus amigos.

 

A CARIDADE NÃO É SOMENTE PARA QUEM ESTÁ VIVO

 

Já vi casos também de que existem pessoas que sofrem influências de ex-namorados(as) falecidos(as), e essa influência estava prejudicando o relacionamento atual.

 

Da mesma forma, orientei para que fossem providenciados os registros espirituais para que estes recebessem oração no Santuário Hoozo.  Assim os problemas foram resolvidos.

 

Oferecer oração é um ato de caridade que representa muitos créditos no celeiro do céu.

 

Relacione todos os nomes, iniciando pelos antepassados diretos, depois divida em quatro partes. De modo que a partir de janeiro até o mês de abril, data da Festividade, você já tenha enviado o nome de todos aqueles a quem você irá oferecer a oração neste ano.

 

Envie um lote a cada mês, fica muito mais fácil. É quase o mesmo que se você parcelasse em quatro meses.

 

Todos os registros que chegarem a Ibiúna, a partir de janeiro, PERMANECERÃO NO SANTUÁRIO ATÉ O MÊS DE ABRIL DE 2014.

 

 

QUEM DÁ, RECEBE. QUEM SALVA, SERÁ SALVO

 

Em certa ocasião orientei um senhor que fora vítima de tentativa de assassinato e que ainda corria risco de morte:

– O senhor precisa salvar para ser salvo. Não viva sua vida simplesmente para si, mas dedique parte do seu tempo a levar as palavras da Verdade aos demais. Ajude uma entidade que salva de verdade, como a Seicho-No-Ie. Não estou lhe obrigando a se dedicar na Seicho-No-Ie, mas de uma forma ou outra que gere créditos por levar a salvação a muitas pessoas.

Para ele entender melhor, contei-lhe um fato narrado num livro da Seicho-No-Ie em que um rapaz fora a uma sensitiva e esta viu que ele em determinada data morreria.

 

Assim chegou à data prevista, mas o rapaz não morreu.

 

Então, ele voltou à sensitiva. Esta lhe disse que estava certo que ele iria morrer.

– O senhor salvou alguém? – indagou a sensitiva.

 

Foi quando ele se lembrou de que, num dia de muita chuva, encontrou em seu caminho muitos peixes se debatendo fora da água. Em função das chuvas, a água deve ter subido repentinamente e, quando ela baixou, os peixes ficaram fora, então ele os colocou um por um de volta na água…

 

Então a sensitiva lhe disse:

– Foi isso. “Quem tem em mente salvar, será salvo”.

 

Este senhor entendeu e disse-me então que iria ajudar a Seicho-No-Ie. Recuperou-se de seu ferimento e nunca mais teve qualquer incidente em sua vida.

 

Caro amigo leitor, não hesite em fazer o bem.

 

Se você compreendeu a Verdade, viva esta Verdade em seu cotidiano. Ofereça as orações aos seus entes queridos e amigos por meio dos registros espirituais no Santuário Hoozo. Você pode adquiri-los em qualquer uma das Sedes da Seicho-No-Ie espalhadas pelo território brasileiro.

 

Ciente de que você é Vida perfeita de Deus, transmita também a todos que a Vida em si jamais morre. E que a morte é apenas uma passagem da Vida, que é eterna.

 

Muito obrigado.

Preletor da Sede Internacional Ênio Maçaki Hara

 

Publicado na revista Mundo Ideal #237

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *