Qual é o Grilo

Relacionamentos estão ligados aos sentimentos com relação aos pais. Promiscuidade também?

Li na Seicho-No-Ie que os relacionamentos estão ligados aos sentimentos que temos em relação a nossos pais. A promiscuidade também tem a ver com isso?”

Reverências, muito obrigado.

Parabéns por se interessar e ler as obras da Seicho-No-Ie.

Em primeiro lugar, é necessário entender que o ser humano não é mero corpo carnal, mas sim uma expressão da Vida de Deus. Dessa forma, devemos reconhecer todas as pessoas como seres espirituais, como manifestações da Vida de Deus, e passar a respeitá-las. Será que numa relação com diversos parceiros é possível estar presente o verdadeiro respeito por si e pelos outros?

A Seicho-No-Ie nos ensina que o desejo sexual, assim como o apetite, não é um mal; porém, manifestado de maneira equivocada, torna-se um mal. Como expressão da unidade intrínseca do casal, é natural que surja no homem e na mulher que são predestinados a se casarem o desejo de se tornarem um só também no plano físico; e a relação sexual desempenha um papel importante para a concretização plena desse desejo. No entanto, não podemos esquecer que o corpo carnal é apenas um instrumento e, assim, devemos dominá-lo. Sobre esse ponto, na página 50 do livro Assim Se Concretiza o Amor, o prof. Masaharu Taniguchi diz: “Também o homem, para cumprir a sua missão, deve fazer treinamentos rigorosos para tornar-se capaz de refrear e controlar o corpo carnal quando este estiver prestes a ser arrastado pelas exigências do instinto”. Além disso, podemos entender que o nosso corpo é presente dado pelos nossos pais. Por isso, muitas vezes, quando não cuidamos corretamente dele, estamos inconscientemente tentando atingir e ferir os nossos pais.

Quando uma pessoa tem sentimento de insatisfação por ter nascido e amaldiçoa seu nascimento, isso pode dificultar o seu destino. É importante compreender que não somos resultado da união sexual, não nascemos como consequência da imoralidade ou por causa de atos obscenos. Por meio de nossos pais, nascemos neste mundo para cumprir nossa missão e para ser felizes! É necessário fazermos então uma sincera autoanálise e, mesmo que tenhamos razões para odiar nossos pais, devemos perdoá-los e agradecer a eles do fundo do coração.

Para finalizar, entenda que o ato sexual praticado com a pessoa certa, no lugar certo e na hora certa é um ato sagrado, abençoado por Deus. À medida que nos conscientizamos disso e respeitamos o nosso corpo, considerando-o um presente de nossos pais, extinguimos naturalmente a intenção e o desejo de manter relações com diversas pessoas.
Simplesmente ame seus pais e seja muito feliz!

Que Deus o(a) abençoe.

 

Publicado na revista Mundo Ideal #241 – Agosto 2014 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *