Agora é hora de mudar sua vida

Agora é a hora de mudar sua vida

Seicho-No-Ie é o modo de “viver natural”

Por que nasci? Para que nasci? Por que nasci nesta família? Qual o objetivo desta vida? São muitas as dúvidas que cercam as pessoas. Quem nunca pensou e reflexionou sobre qual o significado da vida? Podem não ser exatamente essas mesmas dúvidas, mas o fato é que pelo menos em algum momento desta existência atual alguém parou para pensar a respeito.

Não seria exagero afirmar que encontrar as respostas para essas questões é muito importante para nossa própria felicidade. Sem respostas claras, não saberemos nem qual é o melhor modo de viver. Certa ocasião, um amigo que não conhecia a fundo a Seicho-No-Ie perguntou-me como era o modo de viver da Seicho-No-Ie. Respondi, diretamente, que era o modo de viver natural. Ele não entendeu logo de cara; por isso, expliquei-lhe o seguinte:

– O modo de “viver natural” é aquele em que o ser humano consegue viver naturalmente, manifestando saúde, alegria, prosperidade, harmonia, amor em sua vida cotidiana, ou seja, é uma pessoa feliz. Digo “naturalmente” porque é assim que deve viver o filho de Deus.

Consta no Antigo Testamento no livro do Gênesis que Deus, quando criou o ser humano, o fez à Sua imagem e semelhança e confirmou que era bom. Já no Novo Testamento no Evangelho de João, cap. 9, quando indagado sobre quem havia pecado para que um jovem nascesse cego, se este ou seus pais, Jesus Cristo respondeu aos discípulos que nem o jovem nem seus pais, pois foi para que nele se manifestem as obras de Deus que assim aconteceu. Também o mestre Masaharu Taniguchi, em todos os seus livros, nos ensina que o homem, sendo filho de Deus, perfeito, nasceu neste mundo para expressar a perfeição do mundo de Deus, ou seja, a perfeição do Mundo da Imagem Verdadeira.

Como é formado o nosso destino

O planeta Terra, semelhante a uma escola, quando aqui nascemos, corresponde ao ato de matricularmo-nos na grande escola da Vida. Quando isso ocorre, um terço do nosso destino já está traçado pelos carmas de vidas passadas. Outro um terço depende dos nossos esforços, das boas ações praticadas e da mudança mental da vida atual, e o outro um terço restante pode ser modificado pela ação amorosa de espíritos superiores. Você pode aprofundar mais lendo o livro Descoberta e Conscientização da Verdadeira Natureza Humana, do mestre Masaharu Taniguchi, no qual a partir da pág. 169 ele explica detalhadamente sobre a formação do destino.

Muitas pessoas, sem perceber, estão agora criando um enredo para suas vidas cujo conteúdo é de dor, medo, solidão, tristeza, fracasso etc. Mas não foi para isso que elas nasceram. Então, o que fazer para mudar esse destino infeliz? Em primeiro lugar, é preciso saber que os pensamentos, as palavras e as atitudes são as ferramentas que Deus deu ao ser humano para que pudesse governar a sua própria vida da maneira como quiser.

A indefinida bênção do recomeço

Há um pensamento de Francisco Cândido Xavier, o Chico Xavier, que me emociona muito:

Tudo tem seu apogeu e seu declínio… É natural que seja assim; todavia, quando tudo parece convergir para o que supomos o nada, eis que a vida ressurge, triunfante e bela! Novas folhas, novas flores, na indefinida bênção do recomeço!

Assim é o mundo fenomênico, está em constante transformação. Estamos começando mais um ano, e o que isso significa? Significa que você tem a chance de recomeçar mais uma vez. É claro que qualquer recomeço não tem a necessidade de acontecer apenas no início de um novo ano. Não é isso. Por outro lado, não podemos negar também que há uma magia no ar neste período do ano. A mente coletiva da humanidade está muito mais receptiva a mudanças nesta época, então por que não aproveitar?

Acredito que a minha vida e o meu destino tenham mudado definitivamente no dia em que conheci a Seicho-No-Ie, num seminário de dia inteiro na minha cidade natal, Barretos, interior de São Paulo, quando ainda estava com 14 anos de idade. Ouvia a segunda palestra do saudoso preletor Adelino Pita quando, de repente, ele apontou o dedo para mim (pelo menos foi essa a sensação que tive na hora e ainda tenho hoje) e disse: “Não importa como você viveu até hoje, se sofreu ou se fez alguém sofrer, isso aconteceu porque você não sabia quem era. Você sabe quem você é?”.

Eu não sabia quem eu era. Naquela época, eu era um poço de questionamentos e buscava desesperadamente por respostas, mas a maioria não era respondida. Para falar a verdade, nem do meu nome eu gostava. A resposta dele foi simples e direta, mas calou fundo em minha alma, e, quando me dei por mim, estava chorando, não conseguia segurar as lágrimas. Pela primeira vez eu tinha as respostas de uma só vez para meus questionamentos.

Enfim, ele afirmou com toda a autoridade, num tom firme e enérgico, mas com amor impressionante: “Você é filho de Deus! E filho de Deus tem de viver como Deus! Deus é amor, então você amor! Deus é alegria, então você é alegria! Deus é harmonia, portanto você também é harmonia! Se você ainda tem alguma dúvida disso é porque, embora se diga cristão, não acredita na oração ensinada por nosso senhor Jesus Cristo: Pai nosso que estais no céu..

Renasci naquele momento, e ainda hoje continuo renascendo com esta verdade libertadora. Constantemente em minhas reflexões, quando percebo que pelas minhas atitudes estou me distanciando deste sagrado ensinamento, que necessariamente tem de ser prático, me arrependo e decido recomeçar naquele momento mesmo. Como sou grato a Deus, à Seicho-No-Ie, ao mestre Masaharu Taniguchi, ao preletor Adelino Pita (naquele momento, ele estava investido plenamente do espírito santo de Deus), aos meus pais e ao casal Falcão Rossini, Claudinéia e Osvaldo, que me apresentaram a Seicho-No-Ie, por este despertar, que é eterno.

Utilize com sabedoria o livre-arbítrio

O último terço do nosso destino é formado pelo livre-arbítrio. É nessa parte que temos a liberdade de moldar o nosso destino da maneira que desejarmos. Já foi dito anteriormente que o objetivo de nossa existência aqui na Terra é manifestar as bênçãos ou a glória de Deus, e podemos fazer isso por meio do esforço que nos é permitido graças ao livre-arbítrio concedido por Deus.

Entretanto, é necessário usar com sabedoria e cautela esse livre-arbítrio. Primeiramente, comece com o renascimento de sentir-se o(a) filho(a) amado(a) de Deus e sinta-se grato(a) do fundo do coração por isso. Em seguida, faça uma análise de como vem empregando a palavra no seu dia a dia. Lembre-se de que é com o pensamento mantido, a palavra proferida e os atos praticados que você forma o seu destino.

Se perceber que seus pensamentos, suas palavras e atitudes diferem do seu ideal de vida (vida do filho de Deus), é preciso mudar imediatamente. Por outro lado, sabemos que qualquer mudança não é fácil. Para fazê-la, é preciso treinamento, e todo treinamento deve ser iniciado pelo que é mais fácil.

Poema Vida Vívida

Para que possas começar o seu ano com o pé direito, delicie-se com este poema inspirador e transformador do nosso querido mestre Masaharu Taniguchi. Sugiro que guarde esta revista com você o ano inteiro, lendo e relendo este poema, conscientizando-se cada vez mais da sua natureza divina, e viva uma vida plena, manifestando seu talento para a felicidade de toda a humanidade, começando por aqueles que estão mais próximos de você.

Feliz Ano-Novo, o melhor de nossas vidas!!

 

Vida Vívida

Quem disse que sou um covarde sucumbindo ante as dificuldades?

Quem disse que sou corpo feito de alimentos?

A Vida não é figura de cera, não é figura de gesso.

Eu sou ciclone, sou furação, sou redemoinho.

Eu transformo o ambiente como se dobrasse um arame, no aspecto que eu desejo.

Eu sou uno com a poderosa força que criou o Universo.

Eu sou a própria energia que da atmosfera faz o relâmpago, que transforma os raios solares em arco-íris, que faz eclodir do negro solo as rubras flores, que faz explodir os vulcões e que criou o sistema solar a partir da nebulosa.

Que é ambiente?

Que é destino?

Na hora exata, quando eu quiser, eu me liberto do mais triste destino, como o peixe que se esgueira pelas fendas.

Não sou ferro.

Não sou argila.

Sou Vida.

Sou energia viva.

Não sou matéria inerte moldado pela situação, ou pelo destino.

Eu sou como o ar:

Quanto mais comprimido for, mais força manifesto, tal como a bomba que explode a rocha.

Eu sou a Vida, que, no momento certo, rompe impetuosamente a situação ou o destino.

Sou também como a água: nenhuma barreira poderá represar-me e impedir que me torne um grande oceano.

Se barrarem a minha passagem colocando grandes pedras no meu leito, converter-me-ei em torrente, cachoeira, e saltarei impetuosamente.

Se me fecharem todas as saídas, eu me infiltrarei no subsolo, permanecerei oculto por algum tempo, mas não tardarei a reaparecer. Em breve estarei jorrando através de fontes cristalinas, para saciar deliciosamente a sede dos transeuntes.

Se me impedirem também de penetrar no subsolo, eu me transformarei em vapor, formarei nuvens e cobrirei o céu. E, chegando a hora, atrairei furacão, provocarei relâmpagos e trovões, desabarei torrencialmente, inundarei e romperei quaisquer diques e serei, finalmente, um grande oceano.

 

Muito obrigado!

Preletor da Sede Internacional Carlos Alberto da Silva

Capa_222

Este artigo foi publicado na edição de janeiro de 2013 na Revista Mundo Ideal

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *