o que é ser feliz

O que é ser feliz?

O que é ser feliz?

Ser feliz seria ser rico? Seria ter um carro novo? Morar numa casa luxuosa? Ter uma namorada bonita?

Nem sempre a felicidade que se baseia em bens materiais é a verdadeira felicidade.

A pessoa pode ser rica, e ser infeliz. Ter uma namorada bonita, mas viver brigando com ela. Ter um carro novo ou uma casa luxuosa, e não ser feliz.

O príncipe hindu Sidarta Gautama vivia em um palácio rodeado de todo o conforto, e não era feliz.

Não espere que a felicidade venha ao seu encontro, vá você ao encontro da felicidade.

Na realidade, felicidade é fazer o outro feliz.

No livro A Verdade da Vida, v. 7, p. 92, o prof. Masaharu Taniguchi nos conta a seguinte história:

Talvez você conheça a seguinte fábula:

Era uma vez um país muito rico. O rei desse país tinha um filho muito inteligente. O jovem príncipe tinha tudo o que queria; todos os seus desejos eram satisfeitos. No entanto, o príncipe não era feliz. Em sua fisionomia havia sempre um ar de tristeza e insatisfação.

O rei não entendia por que o seu filho querido, a quem nada faltava, vivia sempre sombrio. Um dia, o rei chamou o príncipe e perguntou-lhe com ternura:

– Você tem tudo o que quer, não há nada que você deseje que não seja satisfeito. Apesar disso, você está sempre tristonho. Por que não consegue sentir-se feliz? Guarda alguma dor secreta em seu coração?

O príncipe respondeu:

– Como o senhor disse, não há nada que eu queira que não seja satisfeito. Eu tenho tudo, posso fazer o que quero. Assim sendo, não há razão para eu ter um sofrimento secreto. Acontece, simplesmente, que não consigo sentir alegria de viver. Eu mesmo não entendo por que me sinto assim.

O rei resolveu publicar uma nota oficial, em que prometia um grande prêmio em dinheiro a quem conseguisse tornar feliz o príncipe.

Um dia, apareceu um mágico, que disse:

– Eu vou conseguir tornar o príncipe feliz.

Ouvindo isso, o rei disse:

– Se você realmente conseguir tornar feliz o príncipe, dar-lhe-ei tudo o que desejar. Mas tem certeza de que conseguirá?

Com a permissão do rei, o mágico levou o príncipe para um outro aposento. Ali, pegou uma folha de papel em branco e nela escreveu alguma coisa, com uma tinta invisível. Entregou esse papel ao príncipe e disse:

– Vá a um quarto escuro, acenda uma vela e aproxime este papel. Então aparecerão as palavras que escrevi. Faça o que está escrito, e a partir de hoje mesmo Vossa Alteza poderá se tornar feliz.

Assim que terminou de falar, o mágico desapareceu. Nas mãos do príncipe ficou a folha de papel aparentemente em branco, igual a qualquer outra. Imediatamente o príncipe escureceu o quarto, acendeu uma vela e aproximou da chama o papel. Logo começaram a surgir nele letras em azul, onde se lia:

“Pelo menos uma vez por dia, pratique um ato de bondade”.

Ah! Então era esse o segredo da felicidade! O príncipe seguiu o conselho, e desde esse dia tornou-se feliz.

Caro leitor! Se vive perseguindo apenas a sua própria felicidade, você é como uma criança que corre, querendo pegar a Lua. Por mais que corra, nunca conseguirá agarrar a verdadeira felicidade.

Ninguém – seja rei, príncipe ou milionário – conseguirá se tornar verdadeiramente feliz enquanto não conhecer a alegria de ser útil aos outros, de tornar feliz o seu próximo e sentir em si o reflexo da alegria do outro. Dando de si é que o homem consegue se tornar maior. Dando de si é que o homem consegue fazer com que o seu tesouro retorne a si próprio com o valor aumentado dezenas de vezes.

 

Nesse sentido os jovens da SNI são pessoas felizes, pois são jovens que estão se dedicando para a Iluminação da Humanidade. Eles trabalham para a felicidade dos outros.

Um episódio que comprova o que disse acima foi a realização da primeira Convenção Paranaense em 1993 (?).

Alguns jovens idealistas resolveram realizar a Convenção Paranaense movidos pelo desejo de salvar outros jovens e levar o conhecimento de que todos somos filhos de Deus.

Prepararam a Convenção com muito carinho, divulgando de porta em porta, convidando os conhecidos com muito entusiasmo de dedicação.

No dia do evento, caiu uma chuva torrencial e chovia mais dentro do que fora do Ginásio de Esportes, onde seria realizada a Convenção. Todos começaram a recitar “Imagem Verdadeira, harmonia, perfeição”. Por incrível que pareça a chuva parou e o sol saiu. Faltavam duas horas para começar o evento.

Rapidamente os jovens começaram a limpar as cadeiras molhadas e a enxugar o chão molhado.

A Convenção foi realizada num clima de alegria, harmonia e muita vibração dos jovens.

Após terminar a Convenção e fazer a limpeza do Ginásio, os jovens se reuniram para se despedir, e nesse momento todos, sem exceção, se abraçaram e começaram a chorar de emoção. Emoção de ter a missão cumprida, de ter realizado um grande sonho e, sobretudo, de fazer felizes outros jovens, os quais voltaram aos seus lares com grande esperança no futuro, pois compreenderam que são filhos de Deus, jovens de potencialidade infinita, com um grande ideal para realizar no futuro.

A emoção de fazer feliz o próximo é indescritível. Somente quem já sentiu essa alegria pode descrevê-la, e a própria pessoa se torna feliz de acordo com a lei mental “dá e receberás”. Quem dá alegria torna-se alegre, quem distribui felicidade torna-se feliz.

As pessoas que trabalham visando ao lucro ou ao prestígio próprio não conseguirão a verdadeira felicidade. Poderão ter uma felicidade momentânea, mas não serão verdadeiramente felizes. Porém, aqueles que se dedicam em prol da sociedade sem visar a benefícios próprios são os que terão êxito e felicidade plena, pois sentimos muito mais felizes quando ajudamos o próximo.

Venha ser feliz você também, participando da Associação dos Jovens de SNI DO BRASIL, Brasil, cujo lema é “Iluminemos o Brasil com a força dos Jovens”.

Preletor da Sede Internacional Junji Miyaura

 

Publicado na revista Mundo Ideal #240

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *