Você já deve ter passado pela experiência de ter de chegar à conclusão sobre alguma coisa e simplesmente não ter a menor ideia de que caminho percorrer até encontrá-la. Talvez em alguns casos você tenha preferido recorrer a opiniões de terceiros, em vez de procurar respostas dentro de si mesmo.

O prof. Masaharu Taniguchi nos ensina que dentro do ser humano existe uma voz que o impulsiona constantemente na direção positiva e evolutiva da vida, exortando-o a manifestar cada vez mais o seu verdadeiro valor. A esta voz o prof. Masaharu chamou de “ideal perfeito que se aloja em nós”.

A “voz” existe no interior de todo ser humano, inclusive em você, orientando-o individualmente de acordo com a sua natureza. Então podemos concluir que adotar opiniões “exteriores” acontece, basicamente, por dois motivos: (1) por não acreditar na orientação da voz que vem de seu interior ou (2) por não conseguir ouvir a voz que vem de seu interior.

A falta de confiança na voz que vem de seu interior pode acontecer por considerar que os outros “saibam” mais sobre determinado assunto do que você mesmo. Não há problema em aprender a solucionar questões com quem tem mais experiência, mas, quando a opinião dos outros começa a ter um peso bem maior do que seus próprios valores, a carroça é colocada na frente dos bois. As pessoas possuem personalidades distintas, e cada qual pensa o que quer, portanto é natural que se posicionem de maneiras diferentes diante da mesma situação. No entanto, quando você passa a confiar demasiadamente na forma de pensar dos outros, perde a sua liberdade e torna-se escravo do pensamento dos outros. E, quando a opinião deles divergir, ainda ficará em dúvida sobre qual deles ouvir.

Por outro lado, se você não consegue nem mesmo ouvir a voz que vem de seu interior, precisa empenhar-se ainda mais. Isso porque a voz continua a sussurrar constantemente o que você deve fazer, que caminho deve seguir e qual a melhor maneira de agir. Mas se você sufoca suas orientações, dando preferência a ouvir o que vem de fora, e não age de acordo com o ideal que se aloja em seu interior, então esta voz vai ficando cada vez menos perceptível, até chegar a um estágio inaudível, em que parece não existir. Quando falamos sobre “ouvir a voz do interior”, não estamos nos referindo a utilizar os ouvidos carnais.

No volume 8 da coleção A Verdade da Vida, o prof. Masaharu Taniguchi discorre sobre esse assunto, chamando a voz interior de revelação divina e a opinião dos outros de revelação espiritual. Associando a revelação divina à sabedoria infinita, ele traça um paralelo entre as duas, e são facilmente perceptíveis os comportamentos que nos aproximam e os que nos afastam do ideal perfeito que se aloja em nós:

  • Revelação divina
  • Sabedoria de Deus
  • Grandeza
  • De dentro para fora
  • Ideal que se aloja em nós
  • Eu Superior
  • Intuição
  • Dentro
  • Revelação espiritual
  • Inteligência humana
  • Egoísmo
  • De fora para dentro
  • Ideia dos outros
  • Pequeno eu
  • Dupla personalidade
  • Fora

Um dos pontos interessantes para ouvir nitidamente a voz que se aloja no interior é abandonar o ego. Na Sutra Sagrada A Verdade em Orações, v. 1, o prof. Masaharu Taniguchi ensina a orar da seguinte forma a “Oração para seguir livremente o grande caminho”:

 

“Neste momento, abandono minhas preferências e meus ódios, anulo minhas intenções egoísticas, afasto os argumentos do meu ego, esvazio a minha mente e desejo sinceramente unir-me à sabedoria de Deus, que me orienta. A sabedoria de Deus flui para o meu interior e orienta-me conforme a Sua vontade”.

Ao proferir essas palavras, deve-se permanecer com a mente despreocupada e, se surgir alguma ideia, deve colocá-la em prática imediatamente. Isso significa que, ao abrirmos mão da inteligência do pequeno eu, passamos a ser orientados pela sabedoria infinita de Deus, que jaz em nós. Também na “Oração para assentar no âmago de Deus”, da mesma sutra sagrada, consta:

“Sou sempre conduzido pela sabedoria de Deus, por isso jamais acontece de eu cometer um deslize sequer em qualquer sentido. Cada ato meu, cada passo meu atingem o ponto exato em tudo e fazem manifestar resultados precisos.”

Mas qual seria o treino adequado para tirar a atenção do que está fora e voltá-la para dentro? Em outras palavras, qual seria o exercício para ouvir, compreender e confiar na orientação da sabedoria de Deus, que vem do interior? A resposta é “meditar”, isto é, assumir fisicamente uma postura correta e direcionar a mente para contemplar o que está em seu interior. Para nós, que somos praticantes da Seicho-No-Ie, esta prática é ainda mais específica: Meditação Shinsokan!

A Meditação Shinsokan é uma prática em que nos sentamos com a postura ereta e colocamos as mãos justapostas diante do rosto, com os olhos fechados, para contemplar tudo que já nos foi dado.

Praticando diariamente a Meditação Shinsokan, você estará constantemente sintonizado com Deus, e consequentemente sua capacidade aumentará e seus cinco sentidos ficarão ainda mais apurados. Ao mesmo tempo, o sexto sentido também será aguçado e aumentará a capacidade de pressentimento. Por conseguinte, você deixará de tentar fazer algo que seja realmente impossível e não fará o que no momento é desnecessário. Pode acontecer de pôr em prática uma ideia que lhe ocorreu casualmente e isso se tornar bastante útil mais tarde, ou fazer algo de que se lembrou repentinamente e conseguir uma rara oportunidade, por ser uma ocasião mais favorável para fazê-lo. (TANIGUCHI, Seicho, 1992)

O que o prof. Seicho Taniguchi nos ensina é que a voz que vem do interior, a sabedoria infinita, naturalmente orienta a todos nós. Você pode estar indo para o trabalho e, inexplicavelmente, sentir o desejo de mudar o trajeto, e, depois, descobrir que, no caminho que faz habitualmente, houve um acontecimento desagradável. Também pode estar às vésperas de um exame, dar uma olhada em material aparentemente sem importância e posteriormente verificar que o material visto está no exame. Ou, ainda, telefonar para um amigo sem nenhum motivo aparente e ele atender ao telefone afirmando que precisava muito falar com você. A intuição surge como desejo sincero de realizar algo naturalmente, sem prejudicar a si mesmo ou aos outros; desta forma, surgem resultados maravilhosos, e você mesmo pode perceber quanto é gratificante obedecer à voz de Deus do seu interior.

Nos dias atuais, em que a sociedade e o mercado de trabalho anseiam cada vez mais por pessoas que estejam acima da média, que tenham uma visão além do senso comum, que saibam viver diferentes experiências obtendo delas melhores resultados, não é possível confiar apenas na inteligência humana. Aqueles que se têm destacado nesses quesitos são os que descobriram existir uma sabedoria superior à inteligência e passaram a viver de acordo com suas orientações.

Então, por que esperar mais? Inicie agora mesmo a jornada para dentro de si e aja de acordo com a voz que vem do seu interior. Pratique, sem falta, a Meditação Shinsokan!

Aspirante a preletora da Sede Internacional Daniela Cristina Seghessi

Publicado na revista Mundo Ideal #243