Qual é o Grilo

Preciso estudar fatos negativos para meu vestibular, mas acho que isso vai contra os ensinamentos da Seicho-No-Ie

“Para continuar sendo considerado um praticante da Seicho-No-Ie, como devo fazer no dia-a-dia para me informar, já que sou vestibulando e preciso conhecer com certa profundidade fatos considerados negativos. Sinto-me assim: se leio, desrespeito o “princípio do relógio de sol” da Seicho-No-Ie; se não leio, diminuo bastante as minhas chances de obter uma vaga no curso que escolhi. Como resolver isso?”

Reverências!

Fico feliz em saber que está participando das reuniões da Seicho-No-Ie, lendo e estudando a obra sagrada para pô-los em prática no seu a dia-a-dia. Esta é a forma real de ser uma pessoa Seicho-No-Ie, estudar só teoricamente não passa de um filosofismo que não produz resultados suficientemente bons. Parabéns! É isso aí. Quanto ao dilema que nos apresentou, esclareço que viver segundo o Princípio do Relógio do Sol como nos ensinou o mestre Masaharu Taniguchi e que, agora, o Supremo Presidente, prof. Masanobu Taniguchi, vem reforçar não implica que devamos viver alienados sobre os fatos que ocorrem no cotidiano ou sobre os fatos que ocorreram na história da humanidade.

Devemos, todavia, discernir Imagem Verdadeira de fenômeno. No livro O Princípio do Relógio do Sol, à página 40 o prof. Masanobu Taniguchi escreve: “Quando defeitos e imperfeições manifestarem-se diante de nossos olhos como imagens fenomênicas, o que faz a diferença – se ‘reconhecemos o mal’ ou ‘não reconhecemos o mal’ – está em termos ou não forte convicção e fé de que, como por trás do fenômeno existe a Imagem Verdadeira, infalivelmente tudo irá melhorar.” Desta forma viver segundo o Princípio do Relógio do Sol é viver com a firme convicção de que tudo que foi criado por Deus é bom, é bem, é belo, é verdadeiro – é o mundo da Imagem Verdadeira e é a única existência real. O mundo fenomênico, o mundo dos cinco sentidos, é manifestação da mente. Se reconhecermos na mente o “mal” como existente ele passará a se manifestar pela lei mental de que se manifesta o que se reconhece. Por outro lado se mantivermos a mente alegre, repleta de sentimento de gratidão e louvor à vida pela ação da mesma lei mental irá manifestar um mundo onde as pessoas se elogiam e se ajudam mutuamente e, com isso, a ilusão se apagará como a escuridão se apaga diante da luz do sol.

O “mal”, seja no cotidiano, seja nos fatos históricos só se manifestou porque o homem se esqueceu de que era e é filho de Deus focando a mente no lado sombrio da vida. Quando a luz deixa de se manifestar ai parece existir a sombra. Quando o bem não se manifesta aí parece existir o “mal”. Mas tudo não passa de uma falsa existência. A sombra, que é nada, é a não existência da luz que de fato existe. O “mal” irreal é a não existência do bem que é real.  É comum as pessoas desejarem melhorar o mundo lutando contra o “mal” que inexiste. A Seicho-No-Ie prega que basta ensinar às pessoas que elas são filhas de Deus e quando elas reconhecem isto, naturalmente, sem nenhum atrito ou desarmonia elas passam a praticar o bem que é modo natural de agir dos filhos de Deus. Isto ocorre porque por detrás do fenômeno de uma pessoa que praticava o “mal” sempre existiu o filho de Deus que pratica o bem.

Por isto divulguemos o Ensinamento ao maior número de pessoas. Aplicando o mesmo princípio à leitura que você tem de fazer na escola lembre-se que por trás de todo fato fenomênico existe a Imagem Verdadeira que é sempre bem e que tudo irá melhorar. Por fim, recomendo a leitura ou releitura do livro O Princípio do Relógio do Sol do prof. Masanobu Taniguchi e o uso do Diário do Relógio do Sol da profa. Junko Taniguchi para maiores esclarecimentos e prática.

E para você, que pleiteia uma vaga escolar, sugiro a prática da Meditação Shinsokan como método para aumentar a concentração e a realização das Orações Para Estudar Com Prazer do Livro Juvenil de Orações do prof. Masaharu Taniguchi. Seja feliz. Oro por seu sucesso nos estudos.

Que Deus lhe abençoe.

Preletor em grau Sênior Devair Sebastião Nunes

Publicado na revista Mundo Ideal #228

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *