Qual é o Grilo

Será que terei que colher todo o pecado e infelicidade que semeei?

“Gostaria de saber como poderei ser feliz sabendo que um dia já fiz várias pessoas infelizes, porque causei mágoas e ressentimentos. Será que terei que colher todos os pecados e infelicidades que semeei?”

E.S., Varginha – Minas Gerais

Somos imensamente gratos por abrir o seu coração conosco. O que você fez não foi certo. Porém, Deus é misericordioso! O fundador da Seicho-No-Ie, prof. Masaharu Taniguchi, nos ensina que, a partir do momento em que você se arrepender do fundo do coração, os seus erros já foram perdoados.

Na Revelação Divina da Confissão consta o seguinte:

“… Se, após um exame de consciência, julgais ter algum pecado, confessai, sem nada esconder, ao orientador de Meu ensinamento. Meu ensinamento prega a inexistência do pecado… O pecado é originariamente treva e se extingue quando exposto à Luz… Porém, uma vez confessado o pecado, não deveis torturar vossa mente, que é extensão da mente de Deus, voltando a vos prender àquele pecado. O pecado desaparece simultaneamente à confissão. A treva não se extingue quando exposta à luz? Não desaparece o pecado daquele que não confessa arrependido, assim como não desaparece a treva que não é exposta a luz…”.

Diante disso, o mais importante é você reconhecer o erro, arrepender-se do fundo do coração e não mais se apegar ao pecado. Leia o livro A Humanidade é Isenta de Pecado, compilado a partir da coleção A Verdade da Vida, do prof. Masaharu Taniguchi.

No capítulo 3, página 111, consta a seguinte passagem de Jesus, narrada do capítulo 7 do Evangelho segundo Lucas:

“Havia nessa cidade uma mulher de nome Madalena, que, por ser uma meretriz era desprezada por todos. Quando ela soube que Jesus fora convidado para o banquete na casa de Simão, ela para lá se dirigiu levando um vaso de alabastro cheio de bálsamo de fino aroma; e, chorando de arrependimento, ajoelhou-se com seus cabelos, beijou-os e ungiu-os com o bálsamo…”

“… disse Jesus: quem tem maior dívida amará mais o credor, agradecendo-lhe pela dívida perdoada; mas aquele que pensa que tem uma dívida pequena não se sente muito agradecido pelo perdão e não ama o credor… Assim, aquele que mais se arrepende de seus pecados sentirá maior gratidão e amor mais profundo Deus. E, dizendo isto, voltou-se para a mulher e disse-lhe solenemente: São-te perdoados os teus pecados”.

Quando a pessoa compreende que estava agindo erroneamente e se arrepende, passa a manifestar a verdadeira natureza divina. A partir de agora, procure manifestar o seu amor, dedicando-se ao próximo, tornando feliz o maior número de pessoas, adquirindo, por exemplo, revistas da Seicho-No-Ie e distribuindo às pessoas necessitadas. Procure, também, uma Associação Local, onde poderá aprender mais sobre o ensinamento e transmitir a outras pessoas, contribuindo para a felicidade delas.

Preletora em grau Máster Eleonor Setsuko Kawano Sato.

Publicado na Revista Mundo Ideal #153

 

Envie sua pergunta!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *